Lançamento da Campanha End Polio Now Santa Catarina Ano II

LANÇAMENTO NA ASSEMBLEIA DISTRITAL 2013 EM PALHOÇA.

Há um ano estivemos aqui em Palhoça para lançar a Campanha End Polio Now Santa Catarina. A Assembleia Mundial da Saúde iria votar, no mês seguinte, uma resolução para colocar a pólio em estado de emergência global e queríamos dar a nossa contribuição. A resolução foi aprovada, e o número de casos da doença retrocedeu e atingiu um recorde histórico de 223 casos em 3 países endêmicos, que nunca deixaram de transmitir o vírus.

O que ficou claro para nós, desde que começamos a campanha, é que o vírus não é o inimigo. O nosso verdadeiro inimigo é o esquecimento. O fato da doença estar afastada da maioria dos países desenvolvidos há mais de 20 anos (como é o caso do Brasil), faz com que ela se torne uma coisa distante, perdida no passado, e que não traz mais risco para as nossas crianças. E isso torna muito difícil a mobilização, não só em Santa Catarina, mas no mundo. E o esquecimento traz de volta questões antigas como, por que não manter as coisas como estão, ou se é possível erradicar a polio? Ou ainda, por que não utilizar os recursos para cuidar de outras doenças que matam muito mais (como a malária ou tuberculose)?

O fracasso na erradicação traria consequências inimagináveis para a saúde pública global que ficaria desacreditada, e encadearia um retrocesso em outras iniciativas globais. O fracasso da erradicação traria também consequências imensuráveis para o Rotary. Pois foi por causa do Rotary que se iniciou a erradicação da polio no mundo – pelo apoio financeiro, a defesa da causa junto aos governos e populações, e a mobilização de seus voluntários na campanhas de imunização.

Vemos, nessa imagem, o prédio da Organização Mundial da Saúde, em Genebra na Suíça. Daqui a duas semanas, esse prédio irá abrigar a Assembleia Mundial da Saúde, e receberá Ministros da Saúde de todos os estados membros da ONU, que irão votar a resolução do plano estratégico para o fim da pólio – chamado de Plano Endgame (ou fim de jogo). É um plano de 5,5 anos, de 5,5 bilhões de dólares. O plano estabelece que em 2 anos o vírus selvagem deverá cessar sua transmissão nos países endêmicos. E em seguida teremos 3 anos de verificação para ter a certeza do seu fim. O financiamento do plano deverá ser firmado logo no início, para não ficarmos sem dinheiro no meio do caminho, como aconteceu diversas vezes no passado, fazendo ressurgir o número de casos da doenças, após várias conquistas.

Nas últimas semanas, grandes avanços vêm ocorrendo. Para dar uma resposta para aqueles contrários à erradicação, mais de 400 autoridades da saúde pública mundial declararam apoio ao fim da pólio e ao plano do Endgame, através de um abaixo assinado – médicos, cientistas e Prêmios Nobel. E, nos Emirados Árabes, aconteceu o Global Vaccine Summit. Num único dia, foram doados mais de 2 bilhões de dólares. Agora, dos 5,5 bilhões de dólares, faltam 1,5 bilhão de dólares para o dia em que será anunciado que a pólio foi erradicada no planeta. Será difícil comparar a emoção desse dia com outras conquistas na história da humanidade – O homem na lua? A queda do muro de Berlim?

Essas imagens agora são muito especiais para nós. Foram tiradas no Afeganistão, especialmente para a nossa campanha de Santa Catarina, por uma fotógrafa da Califórnia (a Gloriann Liu). Essa foto é do escritório da Iniciativa Global para a Erradicação, na fronteira do país com o Paquistão. Nele trabalham alguns voluntários do Rotary. O Afeganistão é um país muito frio, e por isso já deveria estar livre da pólio. Mas se tudo der certo, o país terá o último caso ainda neste ano, pois tivemos apenas 2 casos casos de paralisia neste ano. Para interromper o tráfego do vírus pela fronteira, os voluntários verificam se o dedinho de cada criança não está pintado de roxo. Se não estiver, a criança é vacinada. Mas aquelas que não tiveram a oportunidade de serem vacinadas e contraíram a paralisia, acabam condenando os seus pais e a sua família a viverem na pobreza, tendo que mendigar na rua para sempre, como mostra essa imagem. É para por um fim nisso que o Rotary luta. Por isso, queremos dar a nossa contribuição.

No segundo ano da campanha queremos continuar apoiando o Rotary International, e os parceiros na Iniciativa Global. E para isso continuaremos a trabalhar nas duas frentes, de divulgação e arrecadação. No ano passado, lançamos a campanha seguindo os passos da Marcha dos Centavos norte-americana. É uma historia incrível. Lançada nos anos 30, eles contaram com celebridades, fizeram pedágios nas ruas, bailes e jantares. E durante 30 anos arrecadaram 30 milhões de dólares (em dinheiro da época), e com esse dinheiro compraram milhares de pulmões de aço e financiaram as pesquisas médicas que levaram ao desenvolvimento das 2 vacinas contra a pólio, a oral e a injetável.

Aqui em Santa Catarina, continuaremos seguindo os mesmos passos da Marcha dos Centavos. Continuaremos contando com o apoio de celebridades, faremos pedágios e manifestações públicas em estádios e em locais públicos, como do Dia D da vacinação contra a pólio. Continuaremos arrecadando moedas e vendendo as nossas camisetas. Mas hoje em dia a defesa de uma causa também se faz de casa, através das redes sociais. Por isso, precisamos que os rotarianos nos ajudem a tornar o processo viral. Precisamos contagiar as pessoas para acabar com a pólio.

Qual a nossa meta para o segundo ano? No primeiro ano, arrecadamos cerca de R$ 50.000 até agora. Com base nisso, propomos uma meta um pouco mais ambiciosa mas possível de ser alcançada. Para atingirmos esta meta, cada rotariano terá que arrecadar (apenas) 3 dólares por mês durante um ano para a campanha. Isso é possível? Se for, arrecadaremos R$ 100.000,00 no ano. Essa será a nossa meta. Para isso, poderemos continuar pedindo doações e vendendo as camisetas vermelhas da campanha. Mas temos algumas novidades para esse novo ano. Lançaremos o livro da campanha em formato E-book pela Kindle Store da Amazon. E teremos novos modelos de camisetas e moletons, para o dia-a-dia. E mais uma coisa. Iremos lançar pulseiras promocionais da campanha, de silicone, que poderão ser compradas e usadas pelos fans da campanha para mostrar o seu apoio.

E agora? Agora é a hora que podemos nos engajar. Agora é a hora que podemos fazer alguma coisa para mudar o mundo. Agora é a hora que podemos salvar vidas humanas, que podemos proteger as crianças. Por isso, faça parte da historia e acabe com a polio agora!

Obrigado.

Wan Yu Chih
Presidente da Subcomissão Distrital Polio Plus
Rotary International Distrito 4651

2 comentários sobre “Lançamento da Campanha End Polio Now Santa Catarina Ano II

    1. Segundo os autores do artigo, os 47.500 casos de paralisia mencionados não foram causados por vírus da pólio. Nos países em que a paralisia infantil poliomielítica foi eliminada – inclusive o Brasil – todas as crianças de até 5 anos de idade são vacinadas até hoje, sem que sejam verificados casos alarmantes da doença associados ao uso da vacina oral. Estatisticamente ocorre 1 caso da doença em cada 2 a 4 milhões de crianças que recebem a vacina oral pela primeira vez, em decorrência de mutação do vírus da vacina. Por este motivo, a Organização Mundial da Saúde preconiza que as primeiras duas doses passem a ser feitas com a vacina injetável – medida adotada aqui desde 2012. A vacina oral tem um grande mérito, pois permitiu iniciar a erradicação da pólio no mundo. Sem ela, teríamos hoje muito mais que os 350.000 casos anuais existentes em 1988 nos 125 países com a doença.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s